Girls – Primeira Temporada

GIRLS1

Comecei recentemente a assistir a série Girls, mas para falar a verdade não tinha noção do que ela falava. Inicialmente imaginei que fosse algo bem “Gossip Girl” e “Sex and the City”, mas me enganei completamente. A série é sobre quatro amigas, que moram em Nova York, e nos seus 20 e poucos anos encontram-se naquele dilema da dificuldade em entrar na vida adulta.

Algo que achei muito bom na série é o fato dela mostrar o lado mais real, pois as meninas se encontram na fase de conseguir empregos depois da faculdade (o que é muito difícil), ter relacionamentos sejam eles sérios ou não, pagar contas, ainda ter que pedir ajuda dos pais e todo o drama de alguém que não sabe o que fazer direito com esse novo universo que foi inserido. serie_girls2

As quatro garotas tem personalidades muito diferentes e juntas possuem muita química. A série não tem nada de glamour, só gente no “padrão” e feliz. Ela mostra realmente relações sexuais (e são durante estas que grande diálogos acontecem, acredite!), mostra corpos de verdade, gente de verdade, pessoas felizes, mas também infelizes. Muitas cenas as garotas encontram-se com pouca ou nenhuma maquiagem. É uma série com bastante drama e também humor, de um episódio para outro muita coisa pode mudar e te deixar de boca aberta, algo que pode esperar é muita confusão.

Ainda assisti apenas a primeira temporada e essa é a impressão que a série me passou até então, tenho gostado bastante e ao terminar todas as temporadas farei um novo post sobre o que mudou na minha visão de “Girls”  e minhas novas observações

Atenção:a idade indicativa da série é 16 anos.

Twitter // Facebook // Youtube // Instagram

Beijos

le assinatura certa

 

Anúncios

Stranger Things – 2 temporada

st2_vertical-main_pre_bpo

Dia 27/11 foi a estréia da segunda temporada de Stranger Things e claro que o fim de semana foi de maratonar essa série.  Se eu amei? A única coisa que não gostei é que a terceira temporada só sai em 2019. Agora senta aí que até o fim do post quero te convencer a começar a assistir AGORA essa temporada.

Como grande parte das personagens são crianças a história dessa temporada começa 1 ano após a primeira temporada para termos a sensação de estar acompanhando o crescimento delas (em vários flashbacks ficou bem nítido essa diferença das crianças nas duas temporadas). Will sente e vê coisas mesmo um ano depois do ocorrido e isso vai ficando cada vez mais frequente, e é assim que começa mais uma temporada com monstros, mas dessa vez o problema é muito maior, o Mundo Invertido está ainda mais presente e ameaçador. 

Se na primeira temporada Eleven (Millie Bobby Brown) foi o grande destaque, nessa temos Will (Noah Schnapp), nosso sofredor da série, que não apareceu tanto na primeira temporada, mas nessa aparece e o ator dá um show em atuação. Ele consegue passar tudo o que sente de uma forma tão clara que o telespectador não consegue tirar os olhos da tela em suas cenas.

landscape-1486986380-stranger-things-mike-wheeler-2-e1506627837348

Cada criança tem seu papel muito bem colocado e distribuído na série, e temos uma nova personagem no grupo , Max, que vai fazer se apaixonar por ela e vai se encaixar tão bem no grupo que nem vai parecer que ela não esteve na primeira temporada. Dessa vez vamos mais a fundo do passado de Eleven e isso traz um grande material a ser explorado mais para frente.

Vemos que Mike (Finn Wolfhard) não esqueceu de Eleven mesmo depois de um ano e ainda tem esperanças de ver a amiga novamente. Dustin (Gaten Matarazzo) continua a mesma fofura e Lucas (Caleb McLaughlin) está todo conquistador haha.

Nosso trio Nancy (Natalia Dyer), Jonathan (Charlie Heaton) e Steve (Joe Keery) têm grande participação em toda a história, o que eu achava bem difícil e me surpreendi de forma positiva. O que falar de Winona Ryder? Essa mulher é uma fábrica de lágrimas, que interpretação. E ainda vemos seu romance com Bob, o personagem que ganhou o coração de todos hahaha.

3186939

Sabe aquela frase “Nada se cria, tudo se transforma”? As referências estão por todo lado: Caça-Fantasmas, O exterminador do Futuro, Mad Max e por aí vai. Finalmente justiça é feita por Barb e vemos diversas vezes a dor da perda da personagem na série. Além de Max,  Billy também é novo nessa temporada, mas ao contrário dela não é nada agradável.

A ambientalização, trilha sonora, figurino tem todo um cuidado. O enredo faz com que a gente sempre queira ver o próximo episódio (dessa vez temos um episódio a mais). Quando você começar a assistir não vai conseguir parar. 

Twitter // Facebook // Youtube // Instagram

Beijinhos

ba asssinaturacerta

 

 

 

 

Os 13 Porquês – Série

os-13-porquês-poster

Desde o dia 31 de março (sexta-feira), a internet não fala de outra coisa a não ser a nova série da Netflix “Os 13 Porquês”, baseada no livro do estadunidense Jay Asher que contém o mesmo nome. Não li o livro, por isso não posso fazer uma comparação, mas pretendo fazer algum dia, não logo, pois ainda estou no processo de digerir a série, não conseguiria passar pelas cenas novamente e espero conseguir fazer com que entendam esse sentimento ao longo dessa resenha.

A história é contada pelo ponto de vista de Clay, amigo de Hannah Baker, uma jovem que suicidou. No entanto, ela gravou 13 fitas contando o que a levou ao fim, essas fitas devem ser passadas para as pessoas que de alguma forma estão envolvidas aos acontecimentos que antecederam sua morte.

Terminei a série em três dias, vou confessar que achei o primeiro episódio muito adolescente e não me prendeu tanto, resolvi dar uma chance, fui assistindo e me viciei completamente. Só queria terminar logo e descobrir tudo o que aconteceu para que Hannah fosse capaz de tirar a própria vida. Assuntos muito importantes são abordados ao longo da trama como bullyng, o poder dos meios de comunicação, amizade, abusos sexuais, ensino médio, orientação sexual, suicídio e diversos outros. Se você não assistiu pode estar pensando quanta coisa é colocado em pauta, e sim, esse é um dos pontos para que essa história seja tão intensa e importante.

clay-dylan-minette-e-hannah-katherine-langford-em-cena-de-13-reasons-why-da-netflix-1490908008702_v2_1920x1280

Essas são as duas palavras que eu definiria a série:”importante“, pois depois que assistir vai refletir sobre todos esses assuntos, vai parar para pensar quantas vezes você foi Hannah Baker? Quantas vezes você foi um “Porquê” na vida de alguém e gerou sofrimento com uma ação ou palavra? O fato é que devemos refletir como isso pode impactar na vida de uma pessoa. Diversos acontecimentos são relatados, e começa com coisas que parecem bobas, como uma lista de quem é mais bonita ou não, uma foto vazada, no entanto isso é apenas uma granada que pode explodir e machucar seriamente.

Como dito acima, a série é “intensa“, assim como Hannah Baker. Uma das personagens define Hannah como “A garota era intensa, era muito drama”, só que esse “drama” não é bobagem, é necessário atenção com as pessoas, pelo o que está passando. Imagens fortes são mostradas, tanto que em alguns episódios existe um aviso da Netflix, as cenas são muito próximas do real, um retratamento ao que acontece por aí e que podem não sair da sua cabeça tão cedo, por isso vá preparado, é melhor ter estômago.

A medida que vai assistindo percebe-se o quanto as fitas estão afetando Clay, e pode ser que fique com raiva dele não escutá-las de uma vez. Algo que percebi é que no primeiro episódio Clay machuca sua testa e essa ferida fica até o final da série, provavelmente para que separássemos o passado do presente. Eu me apaixonei por essa personagem em específico, mas como disse, em alguns momentos senti raiva dele. Essa série mostra que não existe ninguém 100% bom, todos nós temos um outro lado, todos nós somos humanos.

13-reasons-why-personagens-netflix

Você fica fissurado por descobrir o que ocorreu com Hannah e se envolve com as personagens, se coloca no lugar delas, a interpretação desses jovens atores está impecável, eu não mudaria nada no elenco escolhido. Uma trilha sonora sensacional e uma fotografia que te faz imergir ainda mais na história. A série é dinâmica, se mantém em um mesmo nível de excelência até o último episódio, o que a não deixa chata, no segundo episódio já muda sua visão de ser apenas uma série adolescente, para uma série que veio para mostrar ao mundo o que muitas vezes é ignorado.

Twitter // Facebook // Youtube // Instagram 

Beijos

le assinatura certa

How To Get Away With Murder

davis_a

Se você não está afim ou não pode fazer maratona de How To Get Away With Murder, é melhor nem começar, porque eu garanto, nos primeiros minutos da série você já estará vidrado e parar é quase impossível.

How To Get Away With Murder é uma série do tipo policial e que sempre tem aqueles casos para serem resolvidos no tribunal. Até aí, você pode pensar que é como qualquer uma do gênero, no entanto eu garanto que não. A história gira em torno da vida pessoal e profissional de Annalise Keating, uma advogada de defesa criminal. Ela é professora da Universidade de Middleton e escolhe cinco de seus melhores alunos para trabalharem em seu escritório, como um estágio.

Durante as temporadas existe um padrão, em que há um caso maior a ser resolvido e “sub-casos” durante os episódios. Na primeira temporada o caso maior é sobre o desaparecimento de uma garota chamada Laila, esse caso no entanto afeta diretamente a vida dos alunos, Annalise e seus assistentes (Frank e Bonnie). Já no início do primeiro episódio, o que não é spoiler, aparece os alunos em uma floresta com um corpo, o que faz com que o telespectador fique intrigado de imediato.

É possível perceber uma grande evolução nos alunos de Annalise (Wes Gibbins, Connor Walsh, Michaela Pratt, Laurel Castillo e Asher Millstone). Existe um esteriótipo em volta do grupo nos primeiros episódios como o que não deveria ter entrado no grupo, o gay, a negra, a latina e o idiota, mas que são quebrados ao longo que vamos conhecendo suas personalidades e vendo suas ações. Os sentimentos por essas personagens vão sofrendo alterações, uma hora você ama algum, já em outro momento se pergunta o que ele está fazendo ali.

CHARLIE WEBER, LIZA WEIL, BILLY BROWN, MATT MCGORRY, AJA NAOMI KING, VIOLA DAVIS, KATIE FINDLAY, ALFRED ENOCH, KARLA SOUZA, JACK FALAHEE

Os atores são maravilhosos, já com Viola Davis no elenco, percebe-se a qualidade. A série toda tem uma fotografia mais escura trazendo a ideia de mistério. Algo que reparo são os figurinos, os de Annalise são sempre muito sofisticados e passa a imagem de uma mulher poderosa.

A narrativa é um ponto que chamou muito minha atenção, pois esta não é linear, muitas vezes começam com o final da história, algo que aconteceu no primeiro episódio pode ser desvendado na metade da temporada ou no final e existem diversos flashbacks, ou seja, é como se os roteiristas soubessem desde o início o que ocorreria em toda a temporada e criam grandes conexões entres os episódios.

Fato é que depois da primeira temporada imaginei como fariam uma outra tão boa à altura. E posso garantir, o nível da série é altíssimo, que fará sua cabeça borbulhar com questionamentos, criará discussões entre os amantes e te prenderá até o último segundo. Depois dessa resenha eu nem precisaria falar que indico muito não é mesmo?

Além da resenha você pode conferir o vídeo que gravamos também sobre a série, e se gostar, inscreva-se no canal!

Follow my blog with Bloglovin

Twitter // Facebook // Youtube // Instagram

Beijos

le assinatura certa

5 Motivos para assistir The OC – Um Estranho no Paraíso

3

Se tem uma série que estou completamente viciada é OC – Um Estranho No Paraíso, ao contrário de muita gente, nunca assisti ela enquanto passava no sbt anos atrás, mas quando fiquei sabendo que ela estava na Netflix fiquei com vontade de assistir, e vou confessar que bastou um episódio para que eu quisesse assistir o resto. Ainda não terminei a série, estou no final da última temporada e quando terminar, eu ou a Bárbara faremos resenha dela aqui para vocês, por isso podem aguardar! Hoje o post é sobre motivos para assistir a série, que não são poucos, mas tentei resumir em tópicos:

1- Muito romance, comédia e drama

É uma série adolescente dos anos 2000 (14 anos atrás) que vai fazer você rir e chorar na medida certa. Vai torcer pelos casais da série, mas não se engane, mesmo havendo vários clichês, casais que nem imaginava vão se formar e te deixar surpreso. As cenas de romance são de tirar o fôlego e puro amor, por ser com adolescentes presenciamos primeiros amores, primeiros relacionamentos. Muito drama acontece na vida das personagens, é um problema atrás do outro, o que faz com que a série não fique monótona e seja interessante. Além disso, a série conta com bastante comédia, em cenas de pura tensão pode ser que solte uma risada, a comédia fica principalmente por conta de Seth Cohen, que é o próximo tópico.

The O.C.

2- Seth Cohen

Com toda certeza essa é a personagem que mais se destaca na série, apesar de não ser o protagonista, e pelo visto o mais amado pelos fãs também. Seth Cohen é aquele nerd nada popular no colégio e apaixonado por Summer, uma das garotas mais populares, desde criança. Um dos pontos marcantes dele é o sacarmo e a ironia que está presente em sua fala em quase todo momento e faz a série ficar muito engraçada. Cuidado ao assistir a série, você pode correr um grave risco de se apaixonar por Seth haha.

3- Evolução das personagens e problemas sociais

As personagens da série são muito bem construídas e é possível ver uma grande evolução em cada uma delas ao passar das temporadas, vários acontecimentos que ocorrem fazem parte dessa mudança nas personagens. Além disso, a série aborda temas que na época em que ela foi ao ar não eram tão discutidos abertamente, como alcoolismo e uso de drogas, traumas, problemas familiares, bullying, inseguranças na adolescência, sexualidade, entre outros.

rehost%2f2016%2f9%2f29%2f65e65ff8-69af-4347-b954-e4452c738bb8

4- Cenário e abertura

A abertura da série é super marcante e quando menos espera já está cantando junto ” California! Here we cooooooome”. A série é ambientada praticamente na Califórnia, então pode esperar uma fotografia maravilhosa,  muito mar, areia, praticamente um paraíso, e depois de um tempo vai desejar morar por lá.

5- Muito parecido com Gossip Girl

Para quem gosta de Gossip Girl com todas certeza vai gostar de OC. Não é atoa que o produtor das duas séries é o mesmo. Apesar de muito parecido em alguns quesitos, como a história girar em torno de adolescentes ricos e festas de primeiro mundo, são também diferentes. É possível encontrar semelhanças nas personagens das duas séries e em muitos momentos vai pensar nisso, mas achei que OC é um pouco mais pesado que Gossip Girl, os acontecimentos em geral. Sou fãs das duas séries e posso afirmar que as duas valem a pena.

Twitter // Facebook // Youtube // Instagram

Beijos

le assinatura certa

Gilmore Girls: primeira temporada

gg3

Com o lançamento da novo temporada de Gilmore Girls na Netflix a internet foi à loucura e me deixou bem curiosa a respeito. Já tinha visto algumas imagens e gifs com partes da série que me deixavam intrigada e que me identificava muito. Por isso resolvi começar a assistir, e se você, assim como eu nunca assistiu ela por completo, venha ler esse post para começar logo!

Um ponto muito importante em qualquer história, são as personagens, e em Gilmore Girls, são elas quem trazem a graça. Com características particulares, Lorelai e Rory, mãe e filha respectivamente, são o contrário do que se espera. Lorelai saiu de casa aos 16 anos grávida onde vivia uma vida de “princesa”, mas para ela estava mais para pesadelo, e criou Rory praticamente sozinha. Lorelai nunca se deu bem em nenhum relacionamento, se mete em diversas encrencas e é muito sarcástica. Já Rory é o oposto da mãe, quieta, gosta de ler e não se mete em encrencas com tanta frequência haha.

gilmore_girls_lauren_graham_alexis_bledel_still

Lorelai e Rory, tem uma relação não só de mãe e filha, mas também de amigas, elas contam tudo uma para a outra e se ajudam em tudo. A história se passa em um cidadezinha pequena, onde todos se conhecem e sabem a vida de todo mundo. Uma cidade aconchegante, que dá vontade de morar lá, de ir na Cafeteria de Luke e nos festivais que acontecem com frequência, lá tudo é motivo de comemoração.

Não é uma série com aventuras e ação, é realmente sobre a vida das mulheres Gilmore, por isso ela é bem parada, no entanto é uma delícia de assistir. Como o próprio título diz, só assisti a primeira temporada ainda, mas já foi o suficiente para que eu esteja amando, por isso super recomendo!

YouTube // Facebook // Instagram // Twitter

Beijos

le assinatura certa

 

Séries que queremos assistir

pipoca

Nós temos um sério problema em sempre querer começar uma nova série, assim começamos e quando vemos elas estão acumuladas, algumas largadas, outras em dia..mas sempre damos aquele jeitinho. Enquanto eu e Bárbara conversávamos foram surgindo algumas séries que gostaríamos de assistir, por isso separamos três que provavelmente serão as próximas. Se você já assistiu algumas dessas ou ouviu falar conta pra gente nos comentários que vamos adorar saber!

1- How To Get Away With Murder

Essa é uma série que MUITA gente comenta, apesar de parecer ser um pouco mais pesada, daquelas que toda atenção é pouca, quero assistir. Só pelo trailer já dá vontade de abrir a Netflix e conferir se é tudo isso que as pessoas comentam.

2- Mr Robot

Conheci recentemente essa série, mas já estou super curiosa a respeito dela. Parece ser aquele tipo de série inteligente, que vou soltar vários “Que foda” entre as cenas e querer logo os próximos episódios.

3- Sons Of Anarchy

Pelo trailer dá pra perceber que é uma série mais violenta, mas muita gente já me recomendou. É um tipo de série que nunca assisti, por isso sairia da minha zona do conforto e seria uma nova experiência.

Essas são as séries que selecionamos para assistirmos logo. Todas elas tem um cenário mais escuro e são bem mais sérias. Espero que tenham gostado!

YouTube // Facebook // Instagram // Twitter 

Beijos

le assinatura certa